Autores

A

B

C

D

E

F

G

H

I

J

L

M

N

O

P

Q

R

S

T

U

V

W

X

Y

Z

Conheça nosso autores

Abílio Terra Júnior - Numa Floresta de Símbolos

Antes deste Numa floresta de signos, publicara seu primeiro livro de poemas é Os homens pássaros. Além da poesia escreve contos e crônicas. Nos seus escritos utiliza muito a intuição de seu inconsciente: “E como sou, acima de tudo, um poeta, não sigo uma linha retilínea, lógica, racional, mas, sim, espiralada, contraste entre luz e sombra. Posso ser duro e amargo, ou doce e suave. Mas escrevo o que me vem na alma.

Abílio Terra Júnior é natural de Belo Horizonte e atualmente reside em Brasília. Casado, pai de um casal de filhos, formou-se em Economia pela UFMG e hoje está aposentado pelo Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. É membro da União Brasileira de Escritores-UBE.
Tem uma visão aberta sobre o mundo e o universo. Como bom poeta é observador de todas as coisas, mas não se contenta com as aparências e por isso usa as palavras para perscrutar o mundo do sonho e o da realidade: “No meu modo de entender, estes mundos interpenetram-se; não há como separá-los. Cabe a mim aceitar essa supra-realidade e viajar nos tênues limiares que os ligam, trazendo em palavras e versos, sombras e luzes que os povoam.”

Conteúdo da aba

Ademar Adams - Memórias do Barão

EU NATALÍCIO, UM GAÚCHO INQUIETO Logo que se casou seu Natalício vendeu o alambique de cachaça e as terras na costa do rio Ijuí. Deixou seus patrícios alemães, indo viver em meio a gente de diversas origens, em Santo Ângelo. Daí para Guarani, para o Rincão dos Vieiro, para Esquina Ipiranga e de volta para Guarani. Com 45 anos mudou-se para o Paraná, na linha São Pedro, região de Vila Nova (Toledo). Dali para o Cinco de Outubro (Palotina), para Maripá, Cascavel e por fim Vila Nova. Como era um homem afável, tinha facilidade de arrumar amizade. Mas por ser franco e direto também fazia inimigos de graça. Estava sempre pronto para entrar numa briga em defesa dos mais fracos ou de quem tinha razão. Viveu na contradição: foi getu-lista, mas não esteve com Jango. Apoiou os milicos no início, depois virou “mandabrasa” e acabou brizolista. Em fim, nasceu chimango mas morreu maragato. Ainda bem. (A.A)

Ademar Adams é jornalista formado pela UFMT e bacharel em Direito pela UNIC. Desde 1993 é servidor da Justiça do Trabalho em Mato Grosso, lotado atualmente na diretoria de Comunicação Social.

Foi dirigente sindical por muitos anos, é líder cooperativista e dirige uma entidade voltada ao combate à corrupção e à defesa da cidadania.

Jornalista combativo, escreve artigos para jornais e sites, sendo que por suas denúncias contra a corrupção na política e na mídia, tem sido constantemente censurado na imprensa de Mato Grosso.

Conteúdo da aba

Ademar Adams - Versejando

E depois vieram tantos outros que fui lendo e gostando: Camões, Shakespeare, Drumond, Vinícios, João Cabral de Melo Neto, Pablo Neruda, Garcia Lorca, Machado de Assis, o nosso Mario Quintana e os regionais Patativa do Assaré e Jaime Caetano Braun e tantos mais. E durante a vida toda andei garatujando versos, sem nunca pensar em publicá-los. De repente aceitei a provocação da Editora Alcance e decidi transformar parte dos meus versos em livro, sem a pretensão de com isso dizer agora que sou poeta. Porque, se eu fosse poeta mesmo, gostaria de ter escrito versos como estes de Mario Quintana: “A vida é um incêndio… …Que importa restarem cinzas se a chama foi bela e alta? Cantemos a canção da vida, na própria luz consumida…”

Ademar Adams é jornalista formado pela UFMT e bacharel em Direito pela UNIC. Desde 1993 é servidor da Justiça do Trabalho em Mato Grosso, lotado atualmente na diretoria de Comunicação Social.

Foi dirigente sindical por muitos anos, é líder cooperativista e dirige uma entidade voltada ao combate à corrupção e à defesa da cidadania.

Jornalista combativo, escreve artigos para jornais e sites, sendo que por suas denúncias contra a corrupção na política e na mídia, tem sido constantemente censurado na imprensa de Mato Grosso.

Conteúdo da aba

Aidê Campello Dill - Portal das Lembranças

Os fragmentos literários que compõem este livro resultaram de acontecimentos vivenciados no passado remoto e outros mais recentes. Não seguem um encadeamento de assuntos ou lugares, vão sendo escritos à medida que afloram a minha imaginação. O objetivo é não deixar se perder através do tempo historietas orais que atingiram especialmente famílias ou se expandiram alcançando o povo. Nelas são descritos aspectos de usos e costumes, figuras exóticas, lazer e turismo. Toca nos sentimentos. Mexe com emoções, tristezas ou alegrias, amizade ou amor. Mostra o lado cômico e as crendices: passagens religiosas e culturais não só no ilusório, mas também mesclando com o real, sempre que for necessário para tornar a leitura interessante. O caráter descritivo e informativo dos textos prioriza a simplicidade e a fácil compreensão. Os nomes dos protagonistas citados são todos fictícios. Em alguns textos aparecem personagens que indiretamente fizeram parte da história, pois através deles pode-se perceber diferentes épocas, os costumes, as relações econômicas ou políticas. Ao evocá-los está se trazendo imagens e lembranças do passado para o presente. Através do olhar turístico é possível desvendar aspectos históricos da localidade visitada. Narro as experiências de viagem para que outras pessoas possam vivenciar e idealizar as distantes e desconhecidas paisagens de outros países. A história é sempre presente reescrevendo o passado, e se não fosse assim não haveria reinterpretação dos acontecimentos. Está aberta a novas descobertas.

Aidê Campello Dill nasceu em Encruzilhada do Sul, RS. Doutora em História do Brasil pela PUCRS e pós-graduada em Administração Educacional, foi docente da PUCRS e ULBRA e diretora de Escola do Estado. Dedicada à pesquisa da História Oral e à Língua Polonesa, frequentemente viaja à Europa, principalmente à Polônia, Aidê produziu várias obras voltadas ao povo polonês, imigrado ou não: o artigo Impressões e Fragmentos Históricos da Viagem à Polônia (Revista Projeções, Curitiba, PR, e Revista Perspectiva, da URI, Erechim, RS). Livros: Desafio Polonês (2003); Polônia para Brasileiros – História, Cultura e Culinária (2004); Polônia – dos escombros aos arranha-céus (2005); Polônia – terra e gente. A guerra acabou. E agora?(2008); Aprendendo com o Polaquinho (2012); Outras obras: A criança e o Positivismo (2005); História da Fotografia (2008); Os Livros não se despedem: aguardam novos leitores (2013). Organizou as obras: A Vida é uma Teia (2012), de Terezinha C.da S. Fernandes, e O Rapto da Adolescente Polonesa: o desafio de sobreviver ao nazismo (2013), de Anna Mazurek Gunia.

Conteúdo da aba

Alba Pires Ferreira - Outras Luas

Há bastante tempo Alba Pires Ferreira tem em suas mãos o saber timoneiro da poesia. Maneja o verso e o leme ao sabor de sua inventiva. Faz da palavra algo de seu completo domínio. Ajusta ideias, dá ao poema voz alta, imperativa, quando fala ao mundo; baixa a voz quando declama ao ouvido do amado suas confissões estonteantes. Já na primeira estrofe do livro, confessa-se: “…Canção noturna /vibra, calma. /Ruído suspirante /em dó /longo gemido d’alma.” Quando não satisfeita com seu labor entregue ao poema, também ousa na arte da trova para fechar seu livro homenageando o memorável Mario Quintana – com a palavra alma na abertura e encerramento do livro. E dentro da alma cabem todas as suas luas: “Mario Quintana, poeta /n’alma do adulto, a criança /de coração porta aberta /à paz, amor esperança!” E no passar das fases lunares e as luas todas com que nos oferece em versos uma infinidade de poemas inesquecíveis. Já fizera isso com seu livro inaugural, Sonata, que a Alcance teve a honra de publicar em 2000. Editara posteriormente Sonata e Orquídeas no asfalto. Agora realiza ainda mais maduramente lapidar em Outras luas. Um presente à arte, com arte. Delicie-se! Rossyr Berny – Editor

Alba Pires Ferreira nasceu em Porto Alegre/RS, é graduada em História e Organização Social e Política do Brasil. Atuou no Magistério Público Estadual. Participou dos Cursos “Para Chefias da Educação e Cultura” e da “Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra” – ADESG. Presidiu o Centro Cívico “Presidente Kennedy”, em Cachoeirinha/RS. Foi Delegada Adjunta da 28ª Delegacia de Educação e Cultura e Oficial de Gabinete da Secretaria da Educação e Cultura. Atuou como Coordenadora da Biblioteca da Escola Estadual Odila Gay da Fonseca. É escritora e poetisa; Presidente da Academia de Artes, Ciências e Letras Castro Alves, de Porto Alegre/RS, ocupando a Cadeira 05, de Roque Callage; associada da Academia Literária Gaúcha – ALGA, de Porto Alegre/RS; Membro da Academia de Letras Rio – Cidade Maravilhosa, do Rio de Janeiro/RJ; Presidente do Conselho da Casa do Poeta Rio-grandense – CAPORI; Sócia Fundadora e Vice-Presidente da Associação Artística e Literária A Palavra do Século XXI – ALPAS XXI, de Cruz Alta/RS; Integrante do Conselho Fiscal da Casa do Poeta Latino Americano – CAPOLAT; associada da Sociedade Partenon Literário, de Porto Alegre/RS e integrante dos Poetas del Mundo Brasil. Coordena a Equipe de Jurados da ALPAS XXI, foi jurada de inúmeros concursos literários promovidos pela CAPORI. Participou de sessenta e cinco antologias e coletâneas literárias (nacionais e internacionais). Em 2000, lançou o seu primeiro livro de poesia “Sonata” e em 2002, “Alba Pires Ferreira e amigos”, (primeira edição esgotada). Em 2002, foi a Escritora Homenageada, pela ALPAS XXI, na coletânea “Entrelinhas”. Em 2008, em parceria com a escritora Ilda Maria Costa Brasil, organizou o E-Book “A Palavra do Século XXI”, comemorativo aos dez anos da ALPAS XXI. Em 2008 foi premiada em segundo lugar no Primeiro Concurso Literário Band News FM, referente a 54ª Feira do Livro de Porto Alegre, com o conto “Um caso de polícia”. Em 2009 lançou dois livros: Orquídeas no asfalto e Outras luas.

Conteúdo da aba

Alberto Cohen - As Flores Tem Penas

As flores têm a capa-cidade de expressar nossos sentimentos e pensamentos, traduzindo, por isso, diversas mensagens, de acordo com suas cores, perfumes e formas. Elas costumam desper-tar nas pessoas a alegria, o perdão, a paz, a inocência, a pureza, lealdade, paixão, atração, fidelidade e amor.Já, as PENAS, embora também ligadas às mesmas coisas, nos falam de dores, mágoas, decepções, abrindo feridas na alma, enquanto sulcos profundos instalam-se no coração, tirando-nos a paz, roubando-nos a alegria e a vontade de viver. Com sua enorme sensi-bilidade, um dom que faz a grande diferença entre os verdadeiros poetas e as pessoas “meramente comuns”, Alberto Cohen nos entrega mais este presente em prosa poética, mostrando o acerto total, desde a escolha do nome, até o ponto final do último texto.

Advogado reside em Belém do Pará, onde nasceu em 12/02/42. A partir de 2003 decidiu expor seus poemas. Participou de alguns concursos literários nacionais e internacionais sendo contemplado com as seguintes distinções:

Livros Premiados e Editados
• Poemas Sem Dono: Vencedor do II Prêmio Literário Livraria Asabeça – Publicado pela Editora Scortecci – SP – 2003.
• Poemas de Amor, Desamor e Saudade: Selecionado e editado pela Câmara Brasileira de Jovens Escritores – CBJE – Rio de Janeiro – RJ – 2004 (esgotado).
• Daltônicos: Selecionado e editado pela Câmara Brasileira de Jovens Escritores – CBJE – Rio de Janeiro – RJ – 2004. (esgotado).
• Recados para Wendy: Selecionado e editado pela Câmara Brasileira de Jovens Escritores – CBJE – Rio de Janeiro – RJ – 2005 (esgotado). • Caminhos de Não Chegar: Vencedor do Prêmio de Literatura Instituto de Artes do Pará- IAP – Editado pelo Governo do Estado – PA – 2005. / Vencedor da Láurea Cidade Poesia (Moderna) – Associação de Escritores de Bragança Paulista – ASES – SP – 2006.
• Juntando Pegadas: Vencedor do Prêmio Vespasiano Ramos – Academia Paraense de Letras – PA – 2006. Publicado pela Editora Paka-Tatu – Belém – PA.
• Cantigas que a Rua Canta: Selecionado e publicado pela Editora Alcance – Porto Alegre-RS – 2009.
• Álbum de Recordações: Selecionado e publicado pela Editora Alcance – Porto Alegre-RS – 2009.
• Menino das Samaúmas: Selecionado e publicado pela Editora Alcance – Porto Alegre-RS – 2010
• Catador de Momentos: Selecionado e publicado pela Editora Alcance – Porto Alegre-RS – 2011
• Sobrevivente de Mim: Selecionado e publicado pela Editora Alcance – Porto Alegre-RS – 2012

• Canto de Um Só: Selecionado e publicado pela Editora Paka-Tatu – Belém – PA Poesias,
Poemas e Crônicas Premiados:
• Pacto: Vencedor do IV Concurso Nacional de Poesia – Casa do Poeta Brasileiro – Poebras – Salvador-BA – 2003. (Publicado).
• Formal de Partilha: Vencedor da Olimpíada Literária Pôr-do-Sol – Alternativo Pôr-do-Sol – Araraquara – SP- 2005. • Rosa Vermelha: Troféu Prata – XVI Concurso Nacional de Poesia “Acadêmico Mário Marinho” – Academia de Letras e Artes de Paranapuã – ALAP – RJ – 2005.
• Majestic: 2º Colocado – Concurso Nacional de Poesia “Mário Quintana” – Academia Bauruense de Letras – SP – 2007. (Publicado).
• Luz: 4º Colocado no XIII Concurso Internacional Literário de Outono – Edições AG – SP – 2004.- (Aproximadamente 1.500 autores de 13 países. Publicado).
• Cinzento: 4º Colocado no XIII Concurso Internacional Literário de Outono – Edições AG – SP – 2004. (Aproximadamente 1.500 autores de 13 países. Publicado).
• Formal de Partilha: Destaque- 7º Habitasul Revelação Literária na Feira – Palavra de Autor (Escritores profissionais) 52ª Feira do Livro de Porto Alegre /RS – 2006. (Publicado).
• Depois, o adeus…: Destaque- II Concurso Benjamim Silva – Sonetos – Academia Cachoeirense de Letras-ES – 2008.
• Penitentes: Classificado no II Prêmio Literário Livraria Asabeça – Editora Scortecci – SP – 2003. Publicado.
• Justa Causa: Seletiva – Panorama Literário Brasileiro/As 100 Melhores Poesias de 2004 – Cbje – RJ – 2004. (Publicado).
• Trilhas: Seletiva da 17ª Edição do Concurso Literário “Poemas no Ônibus e no Trem”- Porto Alegre-RS -2008. (Selecionado entre centenas de concorrentes). (Publicado)
• Replicante: (crônica): Seletiva – Labirinto Literário – Rio de Janeiro – Ano 5 – Nº 22 – janeiro, fevereiro e março de 2011. (Publicado)
• Andorinhas: Seletiva da 20ª Edição do Concurso Literário “Poemas no Ônibus e no Trem” – Porto Alegre-RS – 2011 – (Selecionado entre mais de novecentos concorrentes. Publicado). 

Conteúdo da aba

Menções Honrosas:
2003 • Poema do Amor Imprevisto: Menção Honrosa no XIV Concurso Nacional de Poesia “Aloysio Alfredo Silva” – Academia de Letras e Artes de Paranapuã (Alap) – RJ.
2003 • Animal Doente: Menção Honrosa no X Concurso Nacional de Poesia “Menotti Del Picchia” Clube Brasileiro de Escritores e Poetas Profissionais e Amadores (Physis) – SP.
2004 • Aventureiro Virtual: Menção Honrosa no 6° Concurso Nacional Poeta Nuno Álvaro Pereira – Edição “Pérgula Literária n° 6” – Editora Valença S/A – RJ.
2004 • Indeléveis: Menção Honrosa no 6° Concurso Nacional Poeta Nuno Álvaro Pereira – Edição Pérgula Literária n° 6 – Editora Valença S/A – RJ.
2004 • Paz: Menção Honrosa no 6º Concurso Nacional Poeta Nuno Álvaro Pereira – Edição “Pérgula Literária n° 6” – Editora Valença S/A – RJ.
2005 • Soneto: Menção Honrosa no I Concurso Internacional de Poesia Clássica do Congresso da Sociedade de Cultura Latina – Seção Brasil – SP.
2005 • Soneto do Amor Agonizante: Menção Honrosa na I Olimpíada Literária Pôr-do-Sol – Alternativo Pôr-do-Sol – Araraquara – SP – 2005.
2005 • Soneto do Perdão: Menção Honrosa na I Olimpíada Literária Pôr-do-Sol – Alternativo Pôr-do-Sol – Araraquara – SP.
2007 • Semeaduras: Menção Honrosa no 5º Concurso Guemanisse de Contos e Poesias – Teresópolis/RJ. (Publicado).



Comendas e Diplomas:
• Mérito Cultural e Patrimônio de Belém (Mestre Verequete) Câmara Municipal de Belém “por ter se destacado em sua atuação profissional como incentivador das artes e da cultura do patrimônio histórico da Amazônia e especialmente da Belém do Grão Pará” – 2009.

• Mérito (Editora Alcance) “Por enriquecer a literatura do nosso Estado com a publicação de seus livros. Porto Alegre/RS – 2009 – 2010 – 2011- 2012

 
 

 Livros inéditos: • Folhas e Penas (Crônicas) • Assunto Particular (Poesia) • Álbum de Contradições (Poesia-Sonetos) • Coração de Passarinho (Poesia)

Alberto Cohen - Assunto Particular

Advogado reside em Belém do Pará, onde nasceu em 12/02/42. A partir de 2003 decidiu expor seus poemas. Participou de alguns concursos literários nacionais e internacionais sendo contemplado com as seguintes distinções:

Livros Premiados e Editados
• Poemas Sem Dono: Vencedor do II Prêmio Literário Livraria Asabeça – Publicado pela Editora Scortecci – SP – 2003.
• Poemas de Amor, Desamor e Saudade: Selecionado e editado pela Câmara Brasileira de Jovens Escritores – CBJE – Rio de Janeiro – RJ – 2004 (esgotado).
• Daltônicos: Selecionado e editado pela Câmara Brasileira de Jovens Escritores – CBJE – Rio de Janeiro – RJ – 2004. (esgotado).
• Recados para Wendy: Selecionado e editado pela Câmara Brasileira de Jovens Escritores – CBJE – Rio de Janeiro – RJ – 2005 (esgotado). • Caminhos de Não Chegar: Vencedor do Prêmio de Literatura Instituto de Artes do Pará- IAP – Editado pelo Governo do Estado – PA – 2005. / Vencedor da Láurea Cidade Poesia (Moderna) – Associação de Escritores de Bragança Paulista – ASES – SP – 2006.
• Juntando Pegadas: Vencedor do Prêmio Vespasiano Ramos – Academia Paraense de Letras – PA – 2006. Publicado pela Editora Paka-Tatu – Belém – PA.
• Cantigas que a Rua Canta: Selecionado e publicado pela Editora Alcance – Porto Alegre-RS – 2009.
• Álbum de Recordações: Selecionado e publicado pela Editora Alcance – Porto Alegre-RS – 2009.
• Menino das Samaúmas: Selecionado e publicado pela Editora Alcance – Porto Alegre-RS – 2010
• Catador de Momentos: Selecionado e publicado pela Editora Alcance – Porto Alegre-RS – 2011
• Sobrevivente de Mim: Selecionado e publicado pela Editora Alcance – Porto Alegre-RS – 2012

• Canto de Um Só: Selecionado e publicado pela Editora Paka-Tatu – Belém – PA Poesias,
Poemas e Crônicas Premiados:
• Pacto: Vencedor do IV Concurso Nacional de Poesia – Casa do Poeta Brasileiro – Poebras – Salvador-BA – 2003. (Publicado).
• Formal de Partilha: Vencedor da Olimpíada Literária Pôr-do-Sol – Alternativo Pôr-do-Sol – Araraquara – SP- 2005. • Rosa Vermelha: Troféu Prata – XVI Concurso Nacional de Poesia “Acadêmico Mário Marinho” – Academia de Letras e Artes de Paranapuã – ALAP – RJ – 2005.
• Majestic: 2º Colocado – Concurso Nacional de Poesia “Mário Quintana” – Academia Bauruense de Letras – SP – 2007. (Publicado).
• Luz: 4º Colocado no XIII Concurso Internacional Literário de Outono – Edições AG – SP – 2004.- (Aproximadamente 1.500 autores de 13 países. Publicado).
• Cinzento: 4º Colocado no XIII Concurso Internacional Literário de Outono – Edições AG – SP – 2004. (Aproximadamente 1.500 autores de 13 países. Publicado).
• Formal de Partilha: Destaque- 7º Habitasul Revelação Literária na Feira – Palavra de Autor (Escritores profissionais) 52ª Feira do Livro de Porto Alegre /RS – 2006. (Publicado).
• Depois, o adeus…: Destaque- II Concurso Benjamim Silva – Sonetos – Academia Cachoeirense de Letras-ES – 2008.
• Penitentes: Classificado no II Prêmio Literário Livraria Asabeça – Editora Scortecci – SP – 2003. Publicado.
• Justa Causa: Seletiva – Panorama Literário Brasileiro/As 100 Melhores Poesias de 2004 – Cbje – RJ – 2004. (Publicado).
• Trilhas: Seletiva da 17ª Edição do Concurso Literário “Poemas no Ônibus e no Trem”- Porto Alegre-RS -2008. (Selecionado entre centenas de concorrentes). (Publicado)
• Replicante: (crônica): Seletiva – Labirinto Literário – Rio de Janeiro – Ano 5 – Nº 22 – janeiro, fevereiro e março de 2011. (Publicado)
• Andorinhas: Seletiva da 20ª Edição do Concurso Literário “Poemas no Ônibus e no Trem” – Porto Alegre-RS – 2011 – (Selecionado entre mais de novecentos concorrentes. Publicado). 

Conteúdo da aba

Menções Honrosas:
2003 • Poema do Amor Imprevisto: Menção Honrosa no XIV Concurso Nacional de Poesia “Aloysio Alfredo Silva” – Academia de Letras e Artes de Paranapuã (Alap) – RJ.
2003 • Animal Doente: Menção Honrosa no X Concurso Nacional de Poesia “Menotti Del Picchia” Clube Brasileiro de Escritores e Poetas Profissionais e Amadores (Physis) – SP.
2004 • Aventureiro Virtual: Menção Honrosa no 6° Concurso Nacional Poeta Nuno Álvaro Pereira – Edição “Pérgula Literária n° 6” – Editora Valença S/A – RJ.
2004 • Indeléveis: Menção Honrosa no 6° Concurso Nacional Poeta Nuno Álvaro Pereira – Edição Pérgula Literária n° 6 – Editora Valença S/A – RJ.
2004 • Paz: Menção Honrosa no 6º Concurso Nacional Poeta Nuno Álvaro Pereira – Edição “Pérgula Literária n° 6” – Editora Valença S/A – RJ.
2005 • Soneto: Menção Honrosa no I Concurso Internacional de Poesia Clássica do Congresso da Sociedade de Cultura Latina – Seção Brasil – SP.
2005 • Soneto do Amor Agonizante: Menção Honrosa na I Olimpíada Literária Pôr-do-Sol – Alternativo Pôr-do-Sol – Araraquara – SP – 2005.
2005 • Soneto do Perdão: Menção Honrosa na I Olimpíada Literária Pôr-do-Sol – Alternativo Pôr-do-Sol – Araraquara – SP.
2007 • Semeaduras: Menção Honrosa no 5º Concurso Guemanisse de Contos e Poesias – Teresópolis/RJ. (Publicado).

Comendas e Diplomas:
• Mérito Cultural e Patrimônio de Belém (Mestre Verequete) Câmara Municipal de Belém “por ter se destacado em sua atuação profissional como incentivador das artes e da cultura do patrimônio histórico da Amazônia e especialmente da Belém do Grão Pará” – 2009.

• Mérito (Editora Alcance) “Por enriquecer a literatura do nosso Estado com a publicação de seus livros. Porto Alegre/RS – 2009 – 2010 – 2011- 2012

 
 

 Livros inéditos: • Folhas e Penas (Crônicas) • Assunto Particular (Poesia) • Álbum de Contradições (Poesia-Sonetos) • Coração de Passarinho (Poesia)

Alberto Cohen - Catador de Momentos

Há, na vida, os que catam dramas, aventuras, sortilégios . E, para sorte da literatura, há os que catam momentos puramente poéticos. É o louvavel caso do consagrado poeta paraense Alberto Cohen. Mais do que buscar estes momentos mágicos, ele os apresenta a nós, seus privilegiados leitores: Só, enfm, como um náufrago sem ilha e como Deus deve ser só no meio das estrelas. Era o só dos sós, inteiro, indivisível, sem paradigmas, o cavaleiro andante da individualidade. Aí viu a sombra… E chorou por repartir a solidão com ela. (Só, pág. 18). Catador de momentos capta, como um flash preciso, os instantes que somente os poetas conseguem perceber e dar vida através de sentimentos e palavras, como em Hologramas, Após o temporal, Cismas, Meandros, O lado escuro da lua, Retirantes, entre outros flagrantes e fragrâncias: Esta cidade grande me devora. Um dia, um pedaço do que eu era, um dia, um pedaço do futuro, um dia, um pedaço dos meus versos. (….. pág xxx) Os reclames do poeta inquieto e atento contemplam a cidade, a multidão, a vida, enfim, neste belo e novo livro de Alberto Cohen: Em meio à multidão que se pertence, apenas um olhar confuso e tolo a recolher retalhos de alegria, a rir sobras de risos esquecidas. A própria solidão em demasia. (Os dentes da cidade, pág 94) No mais, é deleitamo-nos com poemas de primeira grandeza.

Advogado reside em Belém do Pará, onde nasceu em 12/02/42. A partir de 2003 decidiu expor seus poemas. Participou de alguns concursos literários nacionais e internacionais sendo contemplado com as seguintes distinções:

Livros Premiados e Editados
• Poemas Sem Dono: Vencedor do II Prêmio Literário Livraria Asabeça – Publicado pela Editora Scortecci – SP – 2003.
• Poemas de Amor, Desamor e Saudade: Selecionado e editado pela Câmara Brasileira de Jovens Escritores – CBJE – Rio de Janeiro – RJ – 2004 (esgotado).
• Daltônicos: Selecionado e editado pela Câmara Brasileira de Jovens Escritores – CBJE – Rio de Janeiro – RJ – 2004. (esgotado).
• Recados para Wendy: Selecionado e editado pela Câmara Brasileira de Jovens Escritores – CBJE – Rio de Janeiro – RJ – 2005 (esgotado). • Caminhos de Não Chegar: Vencedor do Prêmio de Literatura Instituto de Artes do Pará- IAP – Editado pelo Governo do Estado – PA – 2005. / Vencedor da Láurea Cidade Poesia (Moderna) – Associação de Escritores de Bragança Paulista – ASES – SP – 2006.
• Juntando Pegadas: Vencedor do Prêmio Vespasiano Ramos – Academia Paraense de Letras – PA – 2006. Publicado pela Editora Paka-Tatu – Belém – PA.
• Cantigas que a Rua Canta: Selecionado e publicado pela Editora Alcance – Porto Alegre-RS – 2009.
• Álbum de Recordações: Selecionado e publicado pela Editora Alcance – Porto Alegre-RS – 2009.
• Menino das Samaúmas: Selecionado e publicado pela Editora Alcance – Porto Alegre-RS – 2010
• Catador de Momentos: Selecionado e publicado pela Editora Alcance – Porto Alegre-RS – 2011
• Sobrevivente de Mim: Selecionado e publicado pela Editora Alcance – Porto Alegre-RS – 2012

• Canto de Um Só: Selecionado e publicado pela Editora Paka-Tatu – Belém – PA Poesias,
Poemas e Crônicas Premiados:
• Pacto: Vencedor do IV Concurso Nacional de Poesia – Casa do Poeta Brasileiro – Poebras – Salvador-BA – 2003. (Publicado).
• Formal de Partilha: Vencedor da Olimpíada Literária Pôr-do-Sol – Alternativo Pôr-do-Sol – Araraquara – SP- 2005. • Rosa Vermelha: Troféu Prata – XVI Concurso Nacional de Poesia “Acadêmico Mário Marinho” – Academia de Letras e Artes de Paranapuã – ALAP – RJ – 2005.
• Majestic: 2º Colocado – Concurso Nacional de Poesia “Mário Quintana” – Academia Bauruense de Letras – SP – 2007. (Publicado).
• Luz: 4º Colocado no XIII Concurso Internacional Literário de Outono – Edições AG – SP – 2004.- (Aproximadamente 1.500 autores de 13 países. Publicado).
• Cinzento: 4º Colocado no XIII Concurso Internacional Literário de Outono – Edições AG – SP – 2004. (Aproximadamente 1.500 autores de 13 países. Publicado).
• Formal de Partilha: Destaque- 7º Habitasul Revelação Literária na Feira – Palavra de Autor (Escritores profissionais) 52ª Feira do Livro de Porto Alegre /RS – 2006. (Publicado).
• Depois, o adeus…: Destaque- II Concurso Benjamim Silva – Sonetos – Academia Cachoeirense de Letras-ES – 2008.
• Penitentes: Classificado no II Prêmio Literário Livraria Asabeça – Editora Scortecci – SP – 2003. Publicado.
• Justa Causa: Seletiva – Panorama Literário Brasileiro/As 100 Melhores Poesias de 2004 – Cbje – RJ – 2004. (Publicado).
• Trilhas: Seletiva da 17ª Edição do Concurso Literário “Poemas no Ônibus e no Trem”- Porto Alegre-RS -2008. (Selecionado entre centenas de concorrentes). (Publicado)
• Replicante: (crônica): Seletiva – Labirinto Literário – Rio de Janeiro – Ano 5 – Nº 22 – janeiro, fevereiro e março de 2011. (Publicado)
• Andorinhas: Seletiva da 20ª Edição do Concurso Literário “Poemas no Ônibus e no Trem” – Porto Alegre-RS – 2011 – (Selecionado entre mais de novecentos concorrentes. Publicado). 
Conteúdo da aba

Menções Honrosas:
2003 • Poema do Amor Imprevisto: Menção Honrosa no XIV Concurso Nacional de Poesia “Aloysio Alfredo Silva” – Academia de Letras e Artes de Paranapuã (Alap) – RJ.
2003 • Animal Doente: Menção Honrosa no X Concurso Nacional de Poesia “Menotti Del Picchia” Clube Brasileiro de Escritores e Poetas Profissionais e Amadores (Physis) – SP.
2004 • Aventureiro Virtual: Menção Honrosa no 6° Concurso Nacional Poeta Nuno Álvaro Pereira – Edição “Pérgula Literária n° 6” – Editora Valença S/A – RJ.
2004 • Indeléveis: Menção Honrosa no 6° Concurso Nacional Poeta Nuno Álvaro Pereira – Edição Pérgula Literária n° 6 – Editora Valença S/A – RJ.
2004 • Paz: Menção Honrosa no 6º Concurso Nacional Poeta Nuno Álvaro Pereira – Edição “Pérgula Literária n° 6” – Editora Valença S/A – RJ.
2005 • Soneto: Menção Honrosa no I Concurso Internacional de Poesia Clássica do Congresso da Sociedade de Cultura Latina – Seção Brasil – SP.
2005 • Soneto do Amor Agonizante: Menção Honrosa na I Olimpíada Literária Pôr-do-Sol – Alternativo Pôr-do-Sol – Araraquara – SP – 2005.
2005 • Soneto do Perdão: Menção Honrosa na I Olimpíada Literária Pôr-do-Sol – Alternativo Pôr-do-Sol – Araraquara – SP.
2007 • Semeaduras: Menção Honrosa no 5º Concurso Guemanisse de Contos e Poesias – Teresópolis/RJ. (Publicado).

Comendas e Diplomas:
• Mérito Cultural e Patrimônio de Belém (Mestre Verequete) Câmara Municipal de Belém “por ter se destacado em sua atuação profissional como incentivador das artes e da cultura do patrimônio histórico da Amazônia e especialmente da Belém do Grão Pará” – 2009.

• Mérito (Editora Alcance) “Por enriquecer a literatura do nosso Estado com a publicação de seus livros. Porto Alegre/RS – 2009 – 2010 – 2011- 2012

 
 

 Livros inéditos: • Folhas e Penas (Crônicas) • Assunto Particular (Poesia) • Álbum de Contradições (Poesia-Sonetos) • Coração de Passarinho (Poesia)

Alberto Cohen - O MENINO DAS SAMAÚMAS

Alberto Cohen é um poeta surpreendente. No melhor sentido da palavra. Há pouco nos encantamos com seu rigor métrico, rígido nos cânones consagrados do soneto. Lembremos os primores que são Cantigas que a rua canta e Álbum de recordações. Alberto Cohen, um dos melhores do país. E com a passagem do saudoso Miguel Russowsky, não sei se, agora, isoladamente, o melhor. Como merece. Explico o adjetivo surpreendente. Não é que agora nos mostra uma faceta absolutamente dispare, singular, incomum em sua obra? Nem por isso menos bela. Ou por isso mesmo, ainda mais bela. Em Menino das Samaúmas, um título riquíssimo, ousa transgredir com o verso absolutamente despojado de ritos, mas com o ritmo e a musicalidade dos grandes poetas. Desnuda-se de padrões para alcançar um padrão onde os poemas desfiam-se em imagens arrojadas. E apresenta-as com uma roupagem ousada e ao mesmo tempo dos simples mortais. Como dizia Mario Quintana: Na poesia se dá mil voltas enlouquecidas até se chegar à simplicidade. Ou seja, à grande poesia. E quão grande texto é este, O grito, entre dezenas de outros que este Menino, desde a linda região Norte, apresenta ao Brasil: O grito Nem ao menos é todo o desespero, nem dói a dor antiga, como outrora. Leve tremor nas mãos, mais um cigarro, e o cinza a se espalhar pelas paredes. Que a dor venha doer inteiramente, tornando-me completo e costumeiro. A dor que dói um pouco não dói nada, apenas faz pequeno o sentimento que um dia foi paixão desesperada. Volte bem grande, embora ensandecido, o brilho nos meus olhos, no meu grito, antes que apague e eu seja esquecido. Comovente, não? Queres mais? Eis um testamento da perenidade do Poeta. Testemunho que serve a todos versejadores que sonham com a imortalidade da Poesia. E é de crer-se, sim. Leia atentamente o poema Quase eternos, na página 40. Mas ainda que um dia acaso viesse a senhora da foice, muito temos de viver e vivenciar a amada; mesmo depois de o leito vazio, cheio de saudades. Em um amor Qualquer: O absurdo maior é estar aqui sem ser amado, sem colher flores, sem andar na chuva, sem ouvir obrigado, com tanto amor apenas esperado, a casa toda pra enfeitar com flores, essa vontade de andar pela chuva, e a carência de um muito obrigado. Finalmente, num dia qualquer, num delírio qualquer, num nem sei por quê qualquer, escrevi este poema que recuso, terminantemente, chamar de qualquer. Muito mais haveria a dizer, mas agora o melhor que devemos fazer é nos emocionarmos com o luxo poético que temos pela frente, sentados à sombra das Samaúmas deste Menino incrível chamado Alberto Cohen.

Advogado reside em Belém do Pará, onde nasceu em 12/02/42. A partir de 2003 decidiu expor seus poemas. Participou de alguns concursos literários nacionais e internacionais sendo contemplado com as seguintes distinções:

Livros Premiados e Editados
• Poemas Sem Dono: Vencedor do II Prêmio Literário Livraria Asabeça – Publicado pela Editora Scortecci – SP – 2003.
• Poemas de Amor, Desamor e Saudade: Selecionado e editado pela Câmara Brasileira de Jovens Escritores – CBJE – Rio de Janeiro – RJ – 2004 (esgotado).
• Daltônicos: Selecionado e editado pela Câmara Brasileira de Jovens Escritores – CBJE – Rio de Janeiro – RJ – 2004. (esgotado).
• Recados para Wendy: Selecionado e editado pela Câmara Brasileira de Jovens Escritores – CBJE – Rio de Janeiro – RJ – 2005 (esgotado). • Caminhos de Não Chegar: Vencedor do Prêmio de Literatura Instituto de Artes do Pará- IAP – Editado pelo Governo do Estado – PA – 2005. / Vencedor da Láurea Cidade Poesia (Moderna) – Associação de Escritores de Bragança Paulista – ASES – SP – 2006.
• Juntando Pegadas: Vencedor do Prêmio Vespasiano Ramos – Academia Paraense de Letras – PA – 2006. Publicado pela Editora Paka-Tatu – Belém – PA.
• Cantigas que a Rua Canta: Selecionado e publicado pela Editora Alcance – Porto Alegre-RS – 2009.
• Álbum de Recordações: Selecionado e publicado pela Editora Alcance – Porto Alegre-RS – 2009.
• Menino das Samaúmas: Selecionado e publicado pela Editora Alcance – Porto Alegre-RS – 2010
• Catador de Momentos: Selecionado e publicado pela Editora Alcance – Porto Alegre-RS – 2011
• Sobrevivente de Mim: Selecionado e publicado pela Editora Alcance – Porto Alegre-RS – 2012

• Canto de Um Só: Selecionado e publicado pela Editora Paka-Tatu – Belém – PA Poesias,
Poemas e Crônicas Premiados:
• Pacto: Vencedor do IV Concurso Nacional de Poesia – Casa do Poeta Brasileiro – Poebras – Salvador-BA – 2003. (Publicado).
• Formal de Partilha: Vencedor da Olimpíada Literária Pôr-do-Sol – Alternativo Pôr-do-Sol – Araraquara – SP- 2005. • Rosa Vermelha: Troféu Prata – XVI Concurso Nacional de Poesia “Acadêmico Mário Marinho” – Academia de Letras e Artes de Paranapuã – ALAP – RJ – 2005.
• Majestic: 2º Colocado – Concurso Nacional de Poesia “Mário Quintana” – Academia Bauruense de Letras – SP – 2007. (Publicado).
• Luz: 4º Colocado no XIII Concurso Internacional Literário de Outono – Edições AG – SP – 2004.- (Aproximadamente 1.500 autores de 13 países. Publicado).
• Cinzento: 4º Colocado no XIII Concurso Internacional Literário de Outono – Edições AG – SP – 2004. (Aproximadamente 1.500 autores de 13 países. Publicado).
• Formal de Partilha: Destaque- 7º Habitasul Revelação Literária na Feira – Palavra de Autor (Escritores profissionais) 52ª Feira do Livro de Porto Alegre /RS – 2006. (Publicado).
• Depois, o adeus…: Destaque- II Concurso Benjamim Silva – Sonetos – Academia Cachoeirense de Letras-ES – 2008.
• Penitentes: Classificado no II Prêmio Literário Livraria Asabeça – Editora Scortecci – SP – 2003. Publicado.
• Justa Causa: Seletiva – Panorama Literário Brasileiro/As 100 Melhores Poesias de 2004 – Cbje – RJ – 2004. (Publicado).
• Trilhas: Seletiva da 17ª Edição do Concurso Literário “Poemas no Ônibus e no Trem”- Porto Alegre-RS -2008. (Selecionado entre centenas de concorrentes). (Publicado)
• Replicante: (crônica): Seletiva – Labirinto Literário – Rio de Janeiro – Ano 5 – Nº 22 – janeiro, fevereiro e março de 2011. (Publicado)
• Andorinhas: Seletiva da 20ª Edição do Concurso Literário “Poemas no Ônibus e no Trem” – Porto Alegre-RS – 2011 – (Selecionado entre mais de novecentos concorrentes. Publicado). 

Conteúdo da aba

Menções Honrosas:
2003 • Poema do Amor Imprevisto: Menção Honrosa no XIV Concurso Nacional de Poesia “Aloysio Alfredo Silva” – Academia de Letras e Artes de Paranapuã (Alap) – RJ.
2003 • Animal Doente: Menção Honrosa no X Concurso Nacional de Poesia “Menotti Del Picchia” Clube Brasileiro de Escritores e Poetas Profissionais e Amadores (Physis) – SP.
2004 • Aventureiro Virtual: Menção Honrosa no 6° Concurso Nacional Poeta Nuno Álvaro Pereira – Edição “Pérgula Literária n° 6” – Editora Valença S/A – RJ.
2004 • Indeléveis: Menção Honrosa no 6° Concurso Nacional Poeta Nuno Álvaro Pereira – Edição Pérgula Literária n° 6 – Editora Valença S/A – RJ.
2004 • Paz: Menção Honrosa no 6º Concurso Nacional Poeta Nuno Álvaro Pereira – Edição “Pérgula Literária n° 6” – Editora Valença S/A – RJ.
2005 • Soneto: Menção Honrosa no I Concurso Internacional de Poesia Clássica do Congresso da Sociedade de Cultura Latina – Seção Brasil – SP.
2005 • Soneto do Amor Agonizante: Menção Honrosa na I Olimpíada Literária Pôr-do-Sol – Alternativo Pôr-do-Sol – Araraquara – SP – 2005.
2005 • Soneto do Perdão: Menção Honrosa na I Olimpíada Literária Pôr-do-Sol – Alternativo Pôr-do-Sol – Araraquara – SP.
2007 • Semeaduras: Menção Honrosa no 5º Concurso Guemanisse de Contos e Poesias – Teresópolis/RJ. (Publicado).

Comendas e Diplomas:
• Mérito Cultural e Patrimônio de Belém (Mestre Verequete) Câmara Municipal de Belém “por ter se destacado em sua atuação profissional como incentivador das artes e da cultura do patrimônio histórico da Amazônia e especialmente da Belém do Grão Pará” – 2009.

• Mérito (Editora Alcance) “Por enriquecer a literatura do nosso Estado com a publicação de seus livros. Porto Alegre/RS – 2009 – 2010 – 2011- 2012

 
 

 Livros inéditos: • Folhas e Penas (Crônicas) • Assunto Particular (Poesia) • Álbum de Contradições (Poesia-Sonetos) • Coração de Passarinho (Poesia)

Alberto Cohen - Solilóquios

Falar sobre os poemas que brotam da alma de Alberto Cohen, não é tarefa complicada, pois eles nos caem ao colo, como recém-nascidos, dotados de uma sensibilidade que transmite, em cada verso, tudo o que pretendem dizer. Pertencem ao criador as criaturas, mas, tão logo encontram um olhar ou voz que os traduza, voam alto, libertos, donos de si mesmos. Um exemplo claro do que digo, nos dá o poema abaixo: Difícil Alcançado o poema, difícil é arrumá-lo. Ele vem em postas, esfatiado, frases inacabadas. Arrumado o poema, difícil é retê-lo. Um instante tem dono, depois é rebelde ou de maioridade. O poeta sabe quão fugidios são seus versos, assim que se expõem aos olhos de outrem. Mas isso, ao invés de entristecê-lo, pelo contrário, estimula ainda mais sua criação, pois é apenas através de suas mãos que eles se permitem surgir aos nossos olhos. Já não há mais real separação entre a criatura e o criador. Ele os liberta, mas eles se entregam, por instantes, somente aos seus afagos e olhares.Nota-se, clara-mente, esta verdade, em Assunto particular. Nos meus poemas cada letra é uma lágrima, às vezes vestida de riso. O assunto é meu e deles. Os outros bisbilhotam e não percebem porque escrevo assim. Eu nem queria, mas careço. Só os poemas entendem e choram por mim. Assim, em Solilóquios, Alberto Cohen nos presenteia com esses sonhos pequeninos, lindos e profundos, enquanto ainda não alçaram o definitivo voo de partida como todos os demais. Deleitemo-nos, amigos, para que, mesmo distante de nós, eles permaneçam marcados em nossas almas para sempre.

Advogado reside em Belém do Pará, onde nasceu em 12/02/42. A partir de 2003 decidiu expor seus poemas. Participou de alguns concursos literários nacionais e internacionais sendo contemplado com as seguintes distinções:

Livros Premiados e Editados
• Poemas Sem Dono: Vencedor do II Prêmio Literário Livraria Asabeça – Publicado pela Editora Scortecci – SP – 2003.
• Poemas de Amor, Desamor e Saudade: Selecionado e editado pela Câmara Brasileira de Jovens Escritores – CBJE – Rio de Janeiro – RJ – 2004 (esgotado).
• Daltônicos: Selecionado e editado pela Câmara Brasileira de Jovens Escritores – CBJE – Rio de Janeiro – RJ – 2004. (esgotado).
• Recados para Wendy: Selecionado e editado pela Câmara Brasileira de Jovens Escritores – CBJE – Rio de Janeiro – RJ – 2005 (esgotado). • Caminhos de Não Chegar: Vencedor do Prêmio de Literatura Instituto de Artes do Pará- IAP – Editado pelo Governo do Estado – PA – 2005. / Vencedor da Láurea Cidade Poesia (Moderna) – Associação de Escritores de Bragança Paulista – ASES – SP – 2006.
• Juntando Pegadas: Vencedor do Prêmio Vespasiano Ramos – Academia Paraense de Letras – PA – 2006. Publicado pela Editora Paka-Tatu – Belém – PA.
• Cantigas que a Rua Canta: Selecionado e publicado pela Editora Alcance – Porto Alegre-RS – 2009.
• Álbum de Recordações: Selecionado e publicado pela Editora Alcance – Porto Alegre-RS – 2009.
• Menino das Samaúmas: Selecionado e publicado pela Editora Alcance – Porto Alegre-RS – 2010
• Catador de Momentos: Selecionado e publicado pela Editora Alcance – Porto Alegre-RS – 2011
• Sobrevivente de Mim: Selecionado e publicado pela Editora Alcance – Porto Alegre-RS – 2012

• Canto de Um Só: Selecionado e publicado pela Editora Paka-Tatu – Belém – PA Poesias,
Poemas e Crônicas Premiados:
• Pacto: Vencedor do IV Concurso Nacional de Poesia – Casa do Poeta Brasileiro – Poebras – Salvador-BA – 2003. (Publicado).
• Formal de Partilha: Vencedor da Olimpíada Literária Pôr-do-Sol – Alternativo Pôr-do-Sol – Araraquara – SP- 2005. • Rosa Vermelha: Troféu Prata – XVI Concurso Nacional de Poesia “Acadêmico Mário Marinho” – Academia de Letras e Artes de Paranapuã – ALAP – RJ – 2005.
• Majestic: 2º Colocado – Concurso Nacional de Poesia “Mário Quintana” – Academia Bauruense de Letras – SP – 2007. (Publicado).
• Luz: 4º Colocado no XIII Concurso Internacional Literário de Outono – Edições AG – SP – 2004.- (Aproximadamente 1.500 autores de 13 países. Publicado).
• Cinzento: 4º Colocado no XIII Concurso Internacional Literário de Outono – Edições AG – SP – 2004. (Aproximadamente 1.500 autores de 13 países. Publicado).
• Formal de Partilha: Destaque- 7º Habitasul Revelação Literária na Feira – Palavra de Autor (Escritores profissionais) 52ª Feira do Livro de Porto Alegre /RS – 2006. (Publicado).
• Depois, o adeus…: Destaque- II Concurso Benjamim Silva – Sonetos – Academia Cachoeirense de Letras-ES – 2008.
• Penitentes: Classificado no II Prêmio Literário Livraria Asabeça – Editora Scortecci – SP – 2003. Publicado.
• Justa Causa: Seletiva – Panorama Literário Brasileiro/As 100 Melhores Poesias de 2004 – Cbje – RJ – 2004. (Publicado).
• Trilhas: Seletiva da 17ª Edição do Concurso Literário “Poemas no Ônibus e no Trem”- Porto Alegre-RS -2008. (Selecionado entre centenas de concorrentes). (Publicado)
• Replicante: (crônica): Seletiva – Labirinto Literário – Rio de Janeiro – Ano 5 – Nº 22 – janeiro, fevereiro e março de 2011. (Publicado)
• Andorinhas: Seletiva da 20ª Edição do Concurso Literário “Poemas no Ônibus e no Trem” – Porto Alegre-RS – 2011 – (Selecionado entre mais de novecentos concorrentes. Publicado). 
Conteúdo da aba

Menções Honrosas:
2003 • Poema do Amor Imprevisto: Menção Honrosa no XIV Concurso Nacional de Poesia “Aloysio Alfredo Silva” – Academia de Letras e Artes de Paranapuã (Alap) – RJ.
2003 • Animal Doente: Menção Honrosa no X Concurso Nacional de Poesia “Menotti Del Picchia” Clube Brasileiro de Escritores e Poetas Profissionais e Amadores (Physis) – SP.
2004 • Aventureiro Virtual: Menção Honrosa no 6° Concurso Nacional Poeta Nuno Álvaro Pereira – Edição “Pérgula Literária n° 6” – Editora Valença S/A – RJ.
2004 • Indeléveis: Menção Honrosa no 6° Concurso Nacional Poeta Nuno Álvaro Pereira – Edição Pérgula Literária n° 6 – Editora Valença S/A – RJ.
2004 • Paz: Menção Honrosa no 6º Concurso Nacional Poeta Nuno Álvaro Pereira – Edição “Pérgula Literária n° 6” – Editora Valença S/A – RJ.
2005 • Soneto: Menção Honrosa no I Concurso Internacional de Poesia Clássica do Congresso da Sociedade de Cultura Latina – Seção Brasil – SP.
2005 • Soneto do Amor Agonizante: Menção Honrosa na I Olimpíada Literária Pôr-do-Sol – Alternativo Pôr-do-Sol – Araraquara – SP – 2005.
2005 • Soneto do Perdão: Menção Honrosa na I Olimpíada Literária Pôr-do-Sol – Alternativo Pôr-do-Sol – Araraquara – SP.
2007 • Semeaduras: Menção Honrosa no 5º Concurso Guemanisse de Contos e Poesias – Teresópolis/RJ. (Publicado).

Comendas e Diplomas:
• Mérito Cultural e Patrimônio de Belém (Mestre Verequete) Câmara Municipal de Belém “por ter se destacado em sua atuação profissional como incentivador das artes e da cultura do patrimônio histórico da Amazônia e especialmente da Belém do Grão Pará” – 2009.

• Mérito (Editora Alcance) “Por enriquecer a literatura do nosso Estado com a publicação de seus livros. Porto Alegre/RS – 2009 – 2010 – 2011- 2012

 
 

 Livros inéditos: • Folhas e Penas (Crônicas) • Assunto Particular (Poesia) • Álbum de Contradições (Poesia-Sonetos) • Coração de Passarinho (Poesia)

Albino Pazini - Até o Ultimo Minuto

Marcelo é um radialista apaixonado por futebol. Além disso, conquista uma rádio local e seu próprio programa radiofônico. Também um apaixonado pela vida, faz de cada dia uma batalha a completar-se na sua conquista final. Mais do que isso, tem um fato épico a nos narrar. Até o último minuto tem como pano de fundo algo que marcou a história do futebol brasileiro e, sobretudo, os gremistas que nunca esqueceram a famosa ‘‘Batalha dos Aflitos’’. Nesse jogo épico, tentavasse subir do martírio da Segunda Divisão, na qual nunca estivera em sua centenária história. Enfim, até o último instante, até a última página, o leitor – seja qual for sua cor futebolística – não arredará desta história alucinante. Albino Pazini nos oferece mais que um livro, nos entrega uma obra para a memória deste grande es-porte das massas mundiais. Enquanto não soa o apito final, tudo é possível em campo – sobretudo quando se trata do Grêmio Futebol Porto-Alegrense, que se torna Campeão no Estádio dos Aflitos, jogando com sete homens, sete samurais fardados de azul. A conhecida epopeia renasce com uma narrativa extasiante. Leia esta inesquecível e marcante obra com alegria e espanto até a última página, até o último apito. Rossyr Berny Editor

Albino Pazini nasceu em São Francisco de Paula/RS. Pesquisador de literatura clássica, é também apaixonado por jardinagem e futebol. Dedica seu maior tempo, portanto, às flores, aos livros e ao seu time do coração Grêmio.

Conteúdo da aba

Alcir Nicolau Pereira - Os Doces de Abóbora

Este conto começou quando minha filha Carla era muito pequena. Pedia que eu contasse histórias para ela dormir. Um dia, ao anoitecer, eu havia contado todas as histórias que conhecia: Chapeuzinho Vermelho, Lobo Mau e tantas outras de nossa literatura infantil. E ela insistia em não querer dormir. Cansado, comecei a contar uma história inventada na hora. Fui dizendo, falando, inventando e surgiu a história dos DOCES DE ABÓBORA. Carla, toda vez que eu encerrava a narrativa, solicitava: — Conta de novo, papai! E lá ia eu, de novo, com a mesma história. É este o pequeno conto que agora publico. É todo ele dedicado à Carla, minha filha que tanto amo. Alcir Nicolau Pereira

Nasceu em General Câmara, em 1943. Aluno dos Colégios João Canabarro e Vasconcelos Jardim, de General Câmara, Escola Técnica Parobé e Escola Padre Réus, de Porto Alegre. Diplomado pela Escola de Enfermagem da UFRGS. Licenciatura Plena pela Faculdade São Judas Tadeu. Pós-graduação em Administração Hospitalar pela Faculdade Porto-Alegrense e Associação dos Hospitais do Rio Grande do Sul. Enfermeiro do Hospital Ernesto Dornelles e Diretor Geral do Hospital Sanatório Partenon da SSMARS, até abril de 2000.

Conteúdo da aba

Alcir Nicolau Pereira - Contos de Risos e Horrores

Em Contos de Risos e Horrores, temos narrativas bem singulares onde o vovô Alcir escreve lado a lado com sua neta Fernanda. São gerações que se somam, tendo como grande ligação a literatura, o amor pelas palavras, o encanto que as histórias provocam, a paixão herdada e construída no convívio familiar. Os risos se misturam aos horrores provocados pela escritura leve e dinâmica, pela construção de enredos às vezes cômicos, às vezes horripilantes, mas todos com elementos que encantarão aos leitores. Na primeira parte, a obra percorre um caminho vasto de cultura, seja pelo folclore, remetendo aos tempos mais antigos, seja pelos elementos contemporâneos da tecnologia; também entrelaçados pela magia, pelo surreal, pelo extraordinário. Na sequência, os contos vêm com o humor cotidiano presente nas relações familiares. São risos e sorrisos. Assim, os leitores ficarão encantados, captados e apaixonados por uma escritura prazerosa de ler, com uma magia de ligar passado e presente, avô e neta – construções afetivas e eternas.

Nasceu em General Câmara, em 1943. Aluno dos Colégios João Canabarro e Vasconcelos Jardim, de General Câmara, Escola Técnica Parobé e Escola Padre Réus, de Porto Alegre. Diplomado pela Escola de Enfermagem da UFRGS. Licenciatura Plena pela Faculdade São Judas Tadeu. Pós-graduação em Administração Hospitalar pela Faculdade Porto-Alegrense e Associação dos Hospitais do Rio Grande do Sul. Enfermeiro do Hospital Ernesto Dornelles e Diretor Geral do Hospital Sanatório Partenon da SSMARS, até abril de 2000.

Conteúdo da aba

Alexandre Burmann - Fiscalização e Processo Administrativo Ambiental

FISCALIZAÇÃO E PROCESSO ADMINISTRATIVO AMBIENTAL A área ambiental tem uma grande peculiaridade: a multidisciplinariedade no tratamento de suas questões. Com larga experiência na área, Alexandre Burmann escreveu o livro FISCALIZAÇÃO E PROCESSO ADMINISTRATIVO AMBIENTAL, com base em aulas, palestras, seminários e cursos já ministrados. A necessidade de orientar e auxiliar nestas questões surgiu a partir de dúvidas apontadas pelos fiscais, biólogos, geólogos, engenheiros, advogados, químicos e demais profissionais da área ambiental. O autor esclarece, especialmente para os operadores da área ambiental, os caminhos, as soluções e as alternativas possíveis e viáveis para que o processo administrativo que apura a ocorrência de infrações ambientais tenha início, meio e fim, sem deixar margens para ser declarado nulo. Bem como contribui pela garantia das premissas constitucionais de ampla defesa e devido processo legal – gerando segurança jurídica a todas as partes envolvidas, não só aos agentes de Estado, mas especialmente os empreendedores, muitas vezes desconhecedores das nuances da questão. O livro FISCALIZAÇÃO E PROCESSO ADMINISTRATIVO AMBIENTAL será, definitivamente, instrumento de colaboração para o fortalecimento da gestão ambiental, para fins de consolidação de um procedimento por vezes esquecido e que tem importância central dentro da estrutura do órgão responsável pela fiscalização e proteção do meio ambiente em todas as esferas da Administração.

Alexandre Burmann, natural de Ijuí-RS, é advogado, graduado em Direito em 1997. Especialista em Direito Ambiental (2006) e Mestre em Avaliação de Impactos Ambientais (2012). Membro da Comissão de Direito Ambiental da OAB. RS desde 2009. Assessor da Comissão de Saúde e Meio Ambiente da Câmara de Porto Alegre (2012, Presidente Beto Moesch). Consultor de Direito Público, Administrativo e Ambiental para aproximadamente 400 municípios do Estado do Rio Grande do Sul, com quase 900 pareceres escritos (2003 a 2011). Ex-procurador e assessor jurídico da Prefeitura Municipal de Catuípe (1999-2002).

Conteúdo da aba

Alfredo Ricardo Melo Bischoff - Preço De Vendas e Custos Na Empresa Comercial

A introdução do regime de substituição tributária do ICMS, ocasiou mudanças importantes no tratamento dos custos das mercadorias e na gestão de preços de vendas pelas empresas em geral. No início houve muitas dúvidas, as quais com o auxílio dos Contadores, com consultas às Secretarias de Fazenda, com palestras ministradas pelas próprias Secretarias, com ações também de entidades associativas de empresas, foram sendo resolvidas. A concentração inicial da solução de problemas ocorreu quanto aos aspectos fiscais, ou seja, saber se o produto estava enquadrado ou não no regime de substituição tributária do ICMS, qual a NCM (Nomenclatura Comum do Mercosul, descrita na Tabela do IPI para classificar produtos) correta, qual a MVA correta etc. Um assunto que ainda merece cuidados e um melhor entendimento por parte dos empresários e gestores de custos e preços das empresas é o que se refere aos cálculos tanto de custos das mercadorias quanto de preços e margens de lucro. O objetivo deste livro é apoiar os empresários e gestores na solução de questões relacionadas a cálculos de custos, preços e margens, no ambiente da substituição tributária do ICMS.

Alfredo Ricardo Melo Bischoff é Economista formado pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul – PUC-RS – e Especialista em Gestão Empresarial pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul
– UFRGS. Trabalha desde o início da década de 80 em consultoria e treinamento de gestão empresarial com focos nas áreas de finanças e comercial.

Trabalhou durante 6 anos no antigo Cebrae (Centro Brasileiro de Apoio à Pequena e Média Empresa), atual Sebrae, no início de sua carreira de consultor e treinador. Anterior-mente, trabalhou como empregado em empresas de vários ramos de atuação, como revenda de veículos, indústria de plásticos, construção civil, previdência privada e banco de investimento.

Já realizou trabalhos em vários municípios do Rio Grande do Sul, em São Paulo Capital e interior, em Belo Horizonte-MG e interior, Vitória-ES, Cuiabá-MT, Curitiba-PR e interior do Paraná. Atualmente dedica-se a projetos de consultoria e treinamento para empresas comerciais em âmbito nacional.
É natural de Carazinho-RS e reside em Porto Alegre desde 1974.

Conteúdo da aba

Álvaro José Padilha Fagundes - Filha Adolescente

Álvaro Fagundes é um autor ousado, qualidade indispensável a quem ingressa no mundo da literatura. Consegue, a partir de um tema recorrente, a adolescência, criar uma narrativa interessante, que prende o leitor. Tematiza esta fase tão singular em nossas vidas e, como pai, tenta auxiliar para que este momento de possíveis turbulências seja navegado sem traumas. E que a chegada no outro lado do rio haja um aportar seguro para os tempos vindouros. Filha adolescente é narrado a partir do olhar do pai. Poderia ser pelo da mãe. O importante são as lições que o livro encerra, jogando luzes em algumas sombras da adolescência, as quais podem tornar-se luzes de conhecimento. Igualmente o autor enriquece o livro com suas experiências, e da família, em vivências europeias, como viajante e trabalhador clandestino. O que resulta de tudo são aprendizagens gerais. As experiências pessoais de Álvaro Fagundes, em Filha adolescente, se transformam em ensinamentos gerais, com lucros para todos. No mais, boa leitura, pois a obra merece ser conhecida e admirada.

Álvaro José Padilha Fagundes nasceu em Porto Alegre/ RS, cidade que ama e defende com paixão. Filho de Clara e Delmar Fagundes, pais exemplares, criaram seus três filhos com educação, respeito e muito carinho. Ao lado de seus dois irmãos, Rogério e Sérgio Fagundes, viveu uma infância e uma adolescência com simplicidade, cumplicidade e aventuras de sonhos e molecagens sadias. É casado com Sandra Miyagi cúmplice de um amor respeitável, ousado e sonhador. É pai de Nicole, Hyan, Yumi e Yudi suas quatro jóias preciosas. Pai preocupado em torná-los homens e mulheres de respeito. Ao longo de sua trajetória por onde passou, Lisboa, Porto, Paris, Nice, Milão, Madri e por último Barcelona, cidade onde sua filha adolescente nasceu, adquiriu maior sensibilidade emocional e criativa a ponto de colocar em papéis seus relatos mais significantes para ser lembrado como mais um pai dedicado, que dentre tantos outros existem por aí. Cada um a sua maneira.

Conteúdo da aba

Aneli Laipelt Radici - Sabedorias do Viver

“Há dias, que perdemos espaço no palco da vida, por deixarmos as cortinas fechadas. Há dias, que a dor se mantém no peito escondida, apenas dando flechadas. Mas há dias, que a vida multiplica alegrias e sorrimos por nada. Porque há dias, que a força da vida tudo simplifica, mostrando o sentido, da nossa jornada.

Silêncio Amigo, Aneli Radici”

Aneli Laipelt Radici nasceu no dia 02 de julho 1947, em Grão Pará, Santa Catarina. É dona de casa e poetisa, lançou em 2003 o livro Alma Poeta, passou maior parte de sua vida em Porto Alegre, onde cresceu retornando as suas origens, para ficar perto do mar, que ama muito, e de onde tira inspiração para suas poesias.

Conteúdo da aba

Aneli Laipelt Radici - Uma Força Maior

Em 2003 Aneli Laipelt Radici inaugura-se em livro com o belo trabalho em versos Alma poeta, onde nos ensina: “A poesia deu-me asas para voar, e ao céu chegar.” Uma década após surpreendemo-nos com a prosa poética de Sabedorias do viver. E mais nos encanta: “Tocas minha face sem disfarce entre gestos atrevidos, enquanto entrego-te manso meu olhar e meu sorriso.” Agora presenteia-se, ao completar 70 anos, com Uma força maior. Desvenda o mundo espiritual, trazendo clareza e energia. Claro, porque é Luz; energia, porque é força que a faz seguir adiante. Como a cada um de nós. Através de cartas e mensagens entre encarnados e desencarnados – carregadas de saudades que o desencarne traz; entristece. Mas a missão da Espírita Aneli Laipelt Radici, com uma força maior, traz entendimentos aos corações. Assim, de lá e de cá se harmonizam. Acrescenta: “Ainda somos crianças aprendendo a caminhar, caindo e levantando neste planeta em que estamos transitando.” E mais, finaliza a autora: “Nossos sonhos nos fazem retirantes em voos longínquos, mas sempre voltamos porque Deus nos mostra o caminho” Rossyr Berny – Edito

Aneli Laipelt Radici nasceu no dia 02 de julho 1947, em Grão Pará, Santa Catarina. É dona de casa e poetisa, lançou em 2003 o livro Alma Poeta, passou maior parte de sua vida em Porto Alegre, onde cresceu retornando as suas origens, para ficar perto do mar, que ama muito, e de onde tira inspiração para suas poesias.

Conteúdo da aba

Antonia Nery Vanti - Respingos de Sonho

As nove partes de Respingos de Sonhos são nove partes de um corpo, uma joia cravejada por 161 diamantes, que é cada poema deste livro. E inspiração é o que não falta a cada página, a cada verso. Verso/poema, desaguadouro de emoções, as mais íntimas, puras, tocantes, ainda que fira: É na poesia / que vivo meus sonhos / mais loucos, / muitas vezes sem sentido / de um coração doído, / sofrendo as dores / da solidão. (…) Onde também a vida é fonte inspiradora: Perco-me no labirinto das palavras. / São tantas entradas, / tantas saídas, como as avenidas da vida. Enfim, Antonia Nery Vanti desfralda a bandeira de seus dias e de seus sonhos, desnudando seus múltiplos sentimentos ao longo de toda sua obra inaugural. E lê-la é vivenciar com todos os sentidos o que tanto lhe custou escrever. Daí a preciosidade destes respingos que são cachoeiras amores/des-amores, encontros/desencontros, dia/noite, lua/sol, descoberta e susto. Bem como é a vida, bem como os poetas iguais a Vyrena (apelida terno de seus amigos) o traduzem com mágicas palavras. Nada mais há a fazer, leitor privilegiado por ter este livro em suas mãos que não também emocionar-se profundamente

Antonia Nery Vanti (Vyrena) é natural de Santiago/RS, residindo em Porto Alegre, desde meados de 1981. É Bacharel em Letras, foi professora estadual, hoje aposentada. Começou a escrever quando conheceu a Internet, em 2001, onde tem poemas em diversos sites. Participou de diversas coletâneas e tem poemas publicados no Jornal Zero Hora, Diário Gaúcho, RS Letras de Santiago e Jornal Letras Santiaguenses. Pertence aos “Poetas Del Mundo”, “Recanto das Letras” e a diversos grupos poéticos, Sociedade Parthenon Literário, de Porto Alegre. Possui cinco e-books, que se encontram disponíveis no site Recanto das Letras. Escrever, para ela, é uma maneira de extravasar os sentimentos, buscar no fundo da alma, sonhos escondidos e nunca revelados. É por meio da poesia que entro em contato com meu mundo interior, onde estão ocultos sentimentos, que jamais revelaria, a não ser levada pela inspiração do momento.

Conteúdo da aba

Aquillino Dalla Santa Neto - Porque o Brasil Não deu Certo

Vivemos um caos geral que afeta as principais áreas das políticas públicas. A educação paralisada, a saúde deteriorada e a segurança desestruturada. Esta situação impede que cada um destes setores cumpram seus objetivos: educar, curar e proteger. Mas como a população sobreviverá a tais práticas, oriundas da inoperância, endividamento e corrupção do Poder Público? Mesmo a política sendo uma ciência que visa buscar resultados, ao mesmo tempo esquece-se de analisar o comportamento ético e moral daqueles que deveriam preservar a essência desses valores. Qualquer análise da política está sempre acompanhada de diferentes interpretações e posições, o que não a isenta da responsabilidade e dos compromissos com a população. A ausência de comprometimento com o povo gera o engessamento da máquina pública, causando diversos entraves sociais e econômicos. Vivemos uma realidade que impede o bem-estar do cidadão, nos colocando à frente do horror provocado por um Estado corrupto e ineficiente. Esta realidade, infelizmente, demonstra ser irreversível. “Os governos viciados são: a tirania para a realeza; a oligarquia para a aristocracia; a demagogia para a democracia. A tirania é a monarquia que não tem outro objetivo senão o interesse do monarca; a oligarquia só vê o interesse dos ricos, e a demagogia só vê o dos pobres. Nenhum destes governos se ocupa do interesse geral” Aristóteles Vendas diretamente com o Autor pelo email : aqdallasantaneto@hotmail.com

Aquillino Dalla Santa Neto é escritor e professor de Filosofia graduado pela Universidade de Caxias do Sul (UCS), com extensão em cinema e literatura.
Foi laureado com três prêmios literários: Academia Caxiense de letras (2000), Lions Club (2002) e Faculdade de Ciências e Extensão (FACEX-Natal-RN em 2003).
Escreveu mais de quarenta artigos sobre cultura, educação e política publicados em diversos jornais, entre eles Zero Hora, Correio do Povo e Pioneiro, com o objetivo de conscientizar a sociedade sobre a importância de sua relação com tais temas.
Autor e palestrante do Projeto Filosofia, Cinema e Educação, o qual tem o objetivo de explicar os conceitos filosóficos como a ética, a consciência moral, a bioética, a humanização na ciência e tecnologia, através do cinema e das artes.
Concorreu a vice-governador em 2002 pelo PSC, tendo participado dos debates televisivos apresentados pela TVE e TVCom de Porto Alegre, onde defendeu a implantação do Pacto Federativo como sendo a única alternativa política e econômica para os Estados da federação.
Em 2005 foi diretor do Centro Municipal de Cultura Dr. Henrique Ordovás Filho. Foi Diretor Cultural e Vice-presidente da Fundação de Estudos Econômicos, Culturais e Históricos do Rio Grande do Sul – FEECRHIS e comentarista/debatedor da Rádio Aurora FM de Novo Hamburgo.
“O mundo é ridículo… as pessoas só valorizam o talento de quem já é famoso, esquecendo-se de que o talento vem antes da fama, e é por causa dele que alguém se torna famoso”.
Aquillino Dalla Santa Neto

Conteúdo da aba

Areimor Neto - 1001 Sonetos Centenários

Nestes difíceis tempos contemporâneos, raros são os seres carregados de sentimentos e amor à Poesia, algo aparentemente secundário, pensamento dos mais afoitos e apressados. Pois Areimor Neto traz no sangue e em suas experiências de vida o zelo extremo ao verso clássico. Mais: à imorredoura arte sonetista.

101 Sonetos Centenários é uma importante mostra de que a clássica composição de dois quartetos, dois tercetos, com fecho de ouro, sempre encantará a muitos.

Cem ou mais anos têm os seletos aqui, organizados com sensibilidade e sabedoria de Areimor Neto.

Ah, e também nos encantam, na obra, alguns sonetos seus, como bem confessa: “Algumas rimas apensa cinquentenárias, quando talvez eu pensasse em ser poeta…”

Bom proveiro com a rima e a sensibilidade poética permanentes.

Rossyr Berny – Editor

Nestes difíceis tempos contemporâneos, raros são os seres carregados de sentimentos e amor à Poesia, algo aparentemente secundário, pensamento dos mais afoitos e apressados. Pois Areimor Neto traz no sangue e em suas experiências de vida o zelo extremo ao verso clássico. Mais: à imorredoura arte sonetista.

101 Sonetos Centenários é uma importante mostra de que a clássica composição de dois quartetos, dois tercetos, com fecho de ouro, sempre encantará a muitos.

Cem ou mais anos têm os seletos aqui, organizados com sensibilidade e sabedoria de Areimor Neto.

Ah, e também nos encantam, na obra, alguns sonetos seus, como bem confessa: “Algumas rimas apensa cinquentenárias, quando talvez eu pensasse em ser poeta…”

Bom proveiro com a rima e a sensibilidade poética permanentes.

Rossyr Berny – Editor

Conteúdo da aba

Ariane Leitão - Tráfico de Mulheres

A sociedade atual mantém a prática de hábitos herdados das gerações antepassadas. O modelo social e econômico, que colocava no centro produtivo a mão de obra escrava, influenciou o comportamento contemporâneo, criando conceitos ligados à banalização da violência contra seres humanos, considerando-os inferiores, bem como a perpetuação de discriminações relativas à raça, etnia, gênero e classe. Nesse contexto, o livro “Tráfico de Mulheres – A Exploração Sexual no Brasil e a Violação aos Direitos Humanos” (Editora Alcance), demonstra como o Brasil tem buscado responder a esse quadro, haja vista que o país tem em sua história as marcas do tráfico internacional de mulheres para fins sexuais. Composto por uma análise que percorre a origem histórica e as razões socioeconômicas do tráfico internacional de seres humanos, especialmente mulheres para exploração sexual, a obra surge a partir do trabalho de conclusão apresentado pela autora ao final do curso de Direito na Unisinos, combinado com informações oriundas da experiência como gestora de políticas para as mulheres no Estado do Rio Grande do Sul. O livro traz como principal objetivo a análise do crime de tráfico de mulheres para fins de exploração sexual no Brasil, a partir da perspectiva de violação aos direitos humanos das traficadas. Análise esta elaborada através de um exame sobre os fatores sociais, econômicos, jurídicos e culturais que contribuem para a expansão deste fenômeno em nosso país, bem como da responsabilidade do Estado Brasileiro e da comunidade internacional em relação ao tema. O fenômeno do tráfico de mulheres e meninas, como uma gravíssima violação dos direitos humanos, complexo e multifacético, recortado pela disputa dos corpos, seja para o trabalho sexual, ou para o trabalho escravo ou para o tráfico de drogas e armas, também é disputado conceitualmente, já que se insere na complexa malha da violência de gênero, mediada pelo mercado, facilitada pela exclusão econômica e social, por uma história de comércio de corpos, pela legitimidade do escravismo e do racismo, e pela ainda elevada aceitação da violência contra as mulheres. Entretanto, a compreensão do problema como parte das violências estruturais, portanto, de difícil abordagem, não impede a adoção de medidas urgentes e integradas, as quais são reivindicadas pelo movimento de mulheres. Para a autora, é o interesse em romper com a lógica que escraviza mulheres em todos os cantos do mundo e que às impõe um papel de submissão, violência e preconceito, que impulsiona sua obra, legitimando a busca incessante por uma sociedade onde as pessoas sejam realmente livres das amarras da desigualdade, com base na valorização da vida e dos direitos humanos.

Ariane Leitão é formada em Direito pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos). Dedica-se ao estudo sobre Tráfico de Mulheres, sendo ativista do movimento de Direitos Humanos, especialmente junto às Mulheres e à causa LGBT. Foi eleita diretora executiva da Fundação Perseu Abramo, fundação do Partido dos Trabalhadores para a educação política dos filiados e do povo trabalhador. E compõe a Direção Estadual do PT Gaúcho. Atualmente é a titular na Primeira Secretaria Estadual de Políticas para as Mulheres do Rio Grande do Sul, junto ao Governador Tarso Genro.

Conteúdo da aba

Attílio dos Santos Oliveira - Ramos Verdes Misteriosos

Conteúdo da aba

Avenir Passo de Oliveira e Camila Tapia - Meu Passo, Seus Passos

Em uma coletânea de poemas que perpassa todos os anos da produção poética de cada um, pai e filha abrem as portas do labirinto de suas palavras em Meu Passo, Seus Passos. Num mundo em que as pessoas já mercantilizam até os próprios sentimentos, admira-se a sintonia do registro transparente dos sentimentos dos autores, que compõem uma dupla na arte de fazer versos, herdando a veia poética do patriarca. Juntos, contemplam os horizontes em que o sol (da vida) nasce ou se põe, também para dentro da alma.
Avenir Passo de Oliveira é formado em Direito pela Universidade Gama Filho (UGF) do Rio de Janeiro; especialista em Direito Processual Civil pela Universidade Federal de Goiás (UFG); e doutor em Direito Empresarial pela Universidade de Extremadura (UEX), na Espanha. É autor de quatro livros jurídicos e mais de vinte artigos publicados.
Avenir é membro fundador do Instituto de Direito Administrativo de Goiás (IDAG) e acadêmico fundador e titular da cadeira 17 da Academia Goiana de Direito (ACAD), tendo sido vice-presidente desta durante seis anos. É Juiz de Direito da 3ª Vara da Fazenda Pública Estadual de Goiânia, conferencista e professor universitário.

————————————————-

Camila Tapia é jornalista formada em Comunicação Social – Habilitação em Jornalismo pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-GO), graduanda em Letras pela Universidade Federal de Goiás (UFG) e pós-graduanda em Jornalismo Cultural pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ).
É autora do livro-reportagem “Goiânia Heavy Metal – A cena pesada da capital”, apresentado em 2010 como Trabalho de Conclusão de Curso da graduação em Jornalismo. Venceu os concursos de redação Goiânia Na Ponta do Lápis (2003), Goiás na Ponta do Lápis (2003) e o Prêmio Católica de Jornalismo (2007). Aos dez anos de idade, obteve a primeira publicação de um poema seu. Continua a escrever, hoje e sempre.
Conteúdo da aba

A

B

C

D

E

F

G

H

I

J

L

M

N

O

P

Q

R

S

T

U

V

W

X

Y

Z